Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

As tentações (Mt 4, 1-11)

As riquezas, o prestígio e o poder, não são em absoluto bens essenciais à conquista da felicidade humana.

Somos seres de relação, dependentes uns dos outros e dos recursos da natureza e, por mais que não possamos negar nossas necessidades humanas de alimento, abrigo, saúde, educação, entre outras, jamais podemos olhar para os bens do mundo como se fossemos seus únicos destinatários.

A eucaristia é o pão da vida e nos ensina no mistério de amor de Deus, por seu Filho Jesus Cristo o sentido da partilha. Jamais estaremos plenamente saciados enquanto houver irmãos e irmãs passando fome.

Não pode haver bem maior que aquele que atende a todos, e nenhum poder ou prestígio poderá superar àquele dado pela Graça de Deus que age nas pessoas que humildemente se colocam no serviço caridoso aos irmãos e irmãs de Deus e por toda a natureza criada, sobretudo pelos que estão mais fragilizados.

Tenhamos o olhar de Deus pela realidade da criação, que nos fez para a harmonia e não para que pudéssemos dela dispor ao nosso bel prazer. Temos o sério compromisso de “cultivar e guardar a criação” (cf. Gn 2,15)   

Enfim, em um mundo carente do alimento da Palavra de Deus, precisamos agir em comunidade, em sintonia com as diversas situações que abalam a vida, com objetivos claros para resgatar a dignidade humana ferida.

Como nos lembra o Papa Francisco, não viemos ao mundo para promover a guerra mas para dar a resposta da fraternidade aos conflitos nele instaurados.

“Jesus não é o Senhor do conforto. Para seguir a Jesus é preciso decidir trocar o sofá por um par de sapatos que ajude a caminhar por estradas nunca imaginadas” (cf. mensagem do Papa Francisco aos jovens na JMJ na Polônia).

Assista ao vídeo no portalmagnificat no YouTube:

https://www.youtube.com/watch?v=67M2f29DLso