Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Cultura

Estudo indica que 90% dos curitibanos ouvem rádio diariamente

Estudo indica que 90% dos curitibanos ouvem rádio diariamente

A Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (AERP) fez um recorte da audiência do rádio na capital do PR, e se utilizou do estudo Book de Rádio, do Instituto Kantar Ibope Media.   De acordo com o levantamento, Curitiba tem uma das maiores audiências do rádio dentre as capitais pesquisadas pelo projeto. O percentual da população de Curitiba que ouve rádio todos os dias é de 90%, e a média de consumo é de 4 horas e cinco minutos. Outra informação é que 36% dos ouvintes são da classe A/B, 48% da C e 16% da D/E.   Na opinião do diretor de comunicação da Aerp e diretor executivo da Massa FM 97.7, Luiz Benite, a pesquisa demonstra o que todos já sabem.   “É só sair nas ruas, entrar nos comércios, olhar no carro das pessoas, todos estão ouvindo rádio. O que nos deixa feliz é que, agora, está comprovado com a chancela do Ibope. Isso facilita para o cliente anunciar no rádio. Se o anunciante ficar em dúvida a pesquisa vem e comprova a força do rádio”, destacou.   De janeiro a novembro de 2016, foram veiculadas 4,5 milhões de inserções publicitárias de 9.850 anunciantes diferentes, dos quais, 46% exclusivos do meio rádio.       RCR/AERP/TudoRádio
Kantar Ibope Media indica que alcance do rádio é de até 96%

Kantar Ibope Media indica que alcance do rádio é de até 96%

O Instituto Kantar Ibope Media apresentou os dados da pesquisa Book de Rádio. Pelos números o veículo reforçou o quanto permanece uma mídia importante.   O estudo realizado será lançado no mercado em breve e aponta que, em 13 regiões metropolitanas onde a pesquisa foi realizada, o alcance da mídia atingiu 89% da população, com média de 4h36min de sintonia diária. A Grande Belo Horizonte é a região mineira de maior alcance, chegando a 96%. Outro dado importante é que 33% dos ouvintes são da classe A/B, 50% da C e 17% da D/E.   Na duração média do acesso, a Grande Goiânia lidera com 5h34min de consumo por dia de programação, e 31% dos ouvintes pertencem à classe A/B, enquanto 50% à C e 19%, à D/E.   “Diariamente ouvimos comentários de que o rádio está morrendo, mas essa informação é falsa. O estudo indica que ele está muito presente na vida das pessoas, se adaptou muito bem ao advento da tecnologia. Ele é portátil e, com a internet, permite ainda acesso a conteúdo retroativo para serem ouvidos a qualquer hora”, ressalta Dora Câmara, diretora-executiva-comercial Brasil da Kantar Ibope Media.   O levantamento também apontou informações sobre a compra de espaço publicitário no rádio, incluindo principais categorias e anunciantes. De janeiro a novembro de 2016, foram veiculadas 4,5 milhões de inserções publicitárias de 9.850 anunciantes diferentes, dos quais 46% são exclusivos do meio radiofônico. Os segmentos de hipermercados e atacadistas são os primeiros do ranking, com Hypermarcas (1º), Via Varejo (2º) e Supermercado Guanabara (4º). O mercado financeiro e as instituições de ensino também estão bem colocados, com anunciantes como Bradesco (3º) e Anhanguera Educacional (10º).   De acordo com Dora, as informações contribuem para que anunciantes e agências estruturem de forma mais personalizada e efetiva suas campanhas no rádio.    “Em Belo Horizonte, por exemplo, ouvintes gostam de ficar na residência, consideram a cozinha como principal local da casa e vão fazer reformas no futuro. Já em Fortaleza, os pais consideram a opinião dos filhos para tomadas de decisões. Entender esses hábitos é fundamental para que as marcas segmentem suas ações”, declara.   RCR/TudoRádio