A Nielsen publicou o estudo de 2016 sobre o consumo de música no mercado americano. De acordo com a pesquisa, que é feita anualmente, o consumo cresceu 3,1% no ano. Este índice é inclui em sua análise álbuns físicos, downloads e streams.
 

O consumo de músicas está migrando da compra para o streaming, que segue crescendo. No total, essa taxa marca 39,2% no ano. Por outro lado, a média da procura pelos serviços de música on-demand (sem vídeo) foi de 76,4%.
 

O estudo considerou ainda os serviços de áudio e de vídeo (Spotify, Youtube, Apple, Google Play, Amazon, Rhapsody Song, Tidal, Soundcloud, Xbox Music, Slacker, Tidal Video, Medianet, Aol Radio e Disciple).


Mas, apesar do crescimento expressivo dos serviços de música on-demand e de todas as tendências, o rádio ainda é a principal fonte para se descobrir e consumir canções. Ele é utilizado por 66% dos usuários, 47% delas por meio do rádio AM/FM e 19% via retransmissões online.
 


RCR/AERJ